Caderneta Virtual

Serviços de Psicologia e Orientação (S.P.O.)


Áreas de Intervenção Ser Bom Aluno é...
Os SPO são unidades especializadas de apoio educativo que asseguram o acompanhamento do aluno, individualmente ou em grupo, ao longo do processo educativo e que têm como função:
  • Contribuir para o desenvolvimento integral dos alunos e para a construção da sua identidade pessoal
  • Apoiar os alunos no seu processo de aprendizagem e integração na comunidade
  • Prestar apoio de natureza psicológica e psicopedagógica, no contexto das atividades educativas, visando o seu sucesso escolar, igualdade de oportunidades e adequação das respostas educativas
  • Assegurar, em colaboração com outros serviços, a deteção de alunos com necessidades educativas especiais, avaliação da situação e o estudo de intervenções adequadas
  • Promover atividades específicas de informação, aconselhamento e orientação escolar e profissional
  • Desenvolver ações de aconselhamento psicossocial e vocacional dos alunos
  • Ajudar a desenvolver e implementar métodos e técnicas de estudo, com intuito de promover competências que possibilitem ao aluno a superação das suas dificuldades

Principais áreas de intervenção

  • Apoio psicológico e psicopedagógico 
  • Apoio ao desenvolvimento do sistema de relações da comunidade educativa 
  • Orientação escolar e profissional 





Apoio psicológico e psicopedagógico 

As atividades desenvolvidas são dirigidas a alunos que apresentam problemáticas relacionadas com o desenvolvimento pessoal, dificuldades de aprendizagem e de realização escolar, dificuldades de relacionamento interpessoal e problemas de comportamento. Consistem na observação, orientação e apoio aos alunos, promovendo a cooperação de professores, pais/encarregados de educação, em articulação com os recursos da Comunidade. As atividades podem assumir um carácter remediativo ou preventivo-desenvolvimental.



Atividades mais frequentes:
  • Consulta psicológica individual;
  • Avaliação Psicológica;
  • Avaliação de alunos com necessidades educativas especiais e estudo das estratégias de ensino/aprendizagem mais adequadas a cada situação, em colaboração com o Departamento de Educação Especial;
  • Colaboração com os Professores, prestando apoio psicopedagógico às atividades educativas;
  • Dinamização de programas, a nível individual ou de grupo (métodos e hábitos de estudo, controle da ansiedade, competências pessoais e sociais, atenção e reflexibilidade, etc.);
  • Apoio à identificação e análise das causas do insucesso escolar, bem como apresentação de medidas adequadas ao seu combate e prevenção;
  • Encaminhamento para outros Serviços especializados.

Apoio ao desenvolvimento do sistema de relações da comunidade educativa 

Num contexto interativo por excelência, como é a Escola, não existem causas únicas explicativas dos problemas. Daí, que uma parte da intervenção do psicólogo tenha que passar, necessariamente, pelo trabalho colaborativo, através de estratégias articuladas com os vários intervenientes da Comunidade Educativa.



Atividades mais frequentes:
  • Colaborar com a Direção da Escola e os diferentes Órgãos e Estruturas Pedagógicas;
  • Colaborar com os Diretores de Turma e Professores;
  • Colaborar em atividades de prevenção do abandono e absentismo escolares;
  • Colaborar e estabelecer parcerias com os diversos Projetos da Escola;
  • Articular a sua ação com outros Serviços da Comunidade (Saúde, Segurança Social, Reinserção Social, Instituto de Emprego e Formação Profissional, Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco, etc), de modo a contribuir para um correto diagnóstico e planeamento das medidas mais adequadas;
  • Participar em experiências pedagógicas;
  • Dinamizar Ações para a Comunidade Educativa sobre temáticas avaliadas como necessárias e/ou importantes;
  • Perspetivar protocolos e parcerias formais/informais com outros Serviços Especializados da Comunidade, com vista à resolução cooperativa dos problemas, à implementação de um trabalho em rede e ao encaminhamento de alunos, cujas problemáticas ultrapassem o seu âmbito de intervenção.

Orientação escolar e profissional 

Tem como objetivo apoiar os alunos no processo de desenvolvimento da sua identidade pessoal e do seu projeto de vida, promovendo o autoconhecimento ao nível de caraterísticas pessoais, valores, interesses e capacidades e a informação sobre diferentes percursos formativos, referenciais de emprego e profissões.



Atividades mais frequentes:
  • Planear e desenvolver programas de orientação escolar e profissional (individualmente ou em grupo) apoiando os alunos nos processos de escolha e decisão vocacional;
  • Realizar ações de informação escolar e profissional;
  • Colaborar com outros Serviços na organização de programas de informação escolar e profissional;
  • Desenvolver ações de informação e sensibilização para Pais/Encarregados de Educação e da Comunidade em geral, no que respeita à problemática da escolha e das opções escolares e profissionais.

Ser Bom Aluno é...

  • Um bom aluno é um aluno que gosta da escola porque quer aprender. Gosta de ouvir os professores, discorrer sobre as matérias lecionadas, conversar com os professores e com os colegas. Sabe que o tempo que passa na escola é precioso porque vai formá-lo globalmente, como cidadão deste país. Gosta de brincar, de conversar, de se divertir, mas nos momentos certos.
  • O bom aluno traz para a escola o material adequado a cada aula, porque vai necessitar dele para as tarefas em cada aula. O livro é necessário, o caderno também, a máquina de calcular faz falta, a esferográfica, o lápis, a borracha, etc., são indispensáveis. Quando não se traz o livro, há uma parte da matéria que se perde, há a tendência para conversar com o colega do lado, etc.,etc…
  • O bom aluno está atento nas aulas e questiona, no momento, o professor sobre os pormenores menos claros. O bom aluno está sempre disponível para executar as tarefas necessárias, em cada aula.
  • O bom aluno não se recusa a ir ao quadro. Até gosta, porque mostra aos colegas que sabe e diz como se faz. Fica satisfeito e a sua auto-estima agradece!
  • O bom aluno não gosta de conflitos nem de confusão. Fica aborrecido e nervoso com as situações criadas por outros colegas.
  • O bom aluno pede ao professor problemas para resolver em casa. Às vezes é tímido para fazê-lo. Geralmente é o primeiro a concluir as tarefas pedidas na aula.
  • O bom aluno tenta ajudar os colegas com mais dificuldades e que lhe solicitam auxílio. O bom aluno é, certamente, um bom apoio para os professores, não só por ajudar alguns colegas mas também como fator de estabilização da turma.
  • O bom aluno é um exemplo para os colegas, mostrando como se deve fazer, levando-os a refletir sobre o seu exemplo.
  • O bom aluno gosta de ver o seu trabalho recompensado. Ele trabalha com um objetivo definido (por ele e, geralmente também, pela família) e gosta que os professores reconheçam esse seu trabalho.
  • O bom aluno é pontual e assíduo. Sabe que há regras que têm de ser cumpridas e não gosta de ser advertido pelos professores. Sabe também que a avaliação do seu trabalho tem diferentes componentes, sendo a pontualidade e a assiduidade duas delas.
  • O bom aluno tem geralmente boas notas às diferentes disciplinas. Ele foi adquirindo competências transversais que lhe são muito úteis em todas as matérias (métodos de trabalho, organização do trabalho, atitudes e valores, etc.).
  • O bom aluno é organizado e metódico. Tem apontamentos bem organizados e planifica o que tem de estudar.
  • O bom aluno estuda diariamente as matérias de cada disciplina. Deste modo, na véspera dos testes já tem os assuntos estudados, basta-lhe recapitular e ver o que (ainda) não sabe. Este método tem a vantagem de em cada aula estar sempre “em cima” dos assuntos!
  • O bom aluno sabe, desde muito novo, que a Escola é importante na definição dos seus projetos de futuro.

O BOM ALUNO PODES SER TU!!!
BOA SORTE!!!